PULA, O BRASILEIRO QUE SUPEROU O RACISMO E ENTROU PARA A HISTÓRIA NA SELEÇÃO DA RÚSSIA

Vagner Kaetano Pereira, conhecido dentro das quadras de futsal como, Pula, é mais um brasileiro que na sua infância sonhava se tornar atleta profissional de futebol, quiz o destino que esse sonho fosse realizado nas quadras de futsal, com a vontade de vencer na vida, o paulistano de 38 anos que atualmente defende o Santo André Futsal, só não imaginava que além da complexidade que todo brasileiro enfrenta para poder construir um legado no esporte, teria um dos obstáculos mais complexos de se lidar, o racismo.

Em pleno século XXI, convivendo com as atualizações técnológicas diárias, com o ativismo presente em todos os setores, há quem pense que vivemos em plena era da escravidão, onde imperava um sistema político fundado sobre o direito de uma raça (considerada pura e superior) e as classes consideradas inferiores sofriam com o tratamento direcionado que por anos se sustentou como algo trivial. Não é mais! 

PulaDos exemplos que merecem ser reverenciados, o Fixo que já jogou por Carlos Barbosa e Magnus Futsal, não deu bola para as dificuldades e conseguiu alcançar vôos que servem de exemplo para todas as etnias, raças, credo, independentemente do título de segragação, seu talento com a bola no pé e a educação adquirida ao longo da vida, foram fudamentais para que Pula, provasse que muitas vezes uma atitude, pode mudar mais que uma vida, pode mudar um ambiente, uma cultura que procura fazer do futebol seu porão de onde muitas vezes atitudes inaceitáveis acabam “escapando” e são justificadas com a emoção do futebol. 

O Podcast da Várzea traz uma história de quem passou pelo futebol amador de São Paulo e chegou a seleção da Rússia de Futsal, no ano de 2008 na Copa do Mundo de Futsal, o brasileiro enfrentou sua própria seleção e carrega na memória, o dia em que dentro da quadra marcou um gol contra o seu próprio país, mas que fora dela, começa a entrar para a história como um dos primeiros brasileiros que driblou as dificuldades e venceu o racismo. 

Com oportunidades de ter sido atleta profissional do futebol de campo e com passagens por torneios varzeanos como a saudosa Copa Kaiser, foi no Futsal que sua estrela brilhou e hoje ele começa a trazer um pouco da sua experiência para aqueles que estão em busca de uma oportunidade no futebol, sua naturalização russa, não o fez em nenhum momento esquecer suas origens e Pula está de volta, munido da expêriencia conquistada ao longo dos 15 anos de Futsal jogado na Rússia.

isi informáticaMesmo tendo enfrentado dificuldades como ser hostilizado em um restaurante e ter uma partida da seleção interrompida por insultos racistas, pula conquistou diversos títulos, chegando a se tornar artilheiro da Copa do Mundo de Futsal de 2008.

Hoje além de dar show nas quadras brasileiras, Pula aproveita para motivar aqueles que precisam ouvir uma palavra de incentivo, através de palestras realizadas à partir do seu projeto social, a oportunidade em que esteve na fundação CASA também é um dos pontos altos dessa entrevista.

Ouça agora a edição número 16, do Podcast da Várzea e acompanhe essa trajetória inspiradora que vale ser ouvida e compartilhada para que mais uma vez seja ratificado que no Futebol, não existe espaço para o racismo!


INSCREVA-SE NO CANAL DO YOUTUBE
*******PROJETO VARZEANOS*******
SIGA AS NOSSAS REDES SOCIAIS
FACEBOOK.COM\AVARZEA
INSTAGRAM: @PROJETOVARZEANOS
TWITTER: SITE_AVARZEA

Roger Marques

Redator do site www.avarzea.com.br e colunista do site www.spfc24horas.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *