COMEMORAÇÃO DE 18 ANOS DO BATTI FÁCIL DA VILA NHOCUNÉ

O Batti Fácil da Vila Nhocuné completou 18 anos de história na várzea, para celebrar a data, a equipe que já foi campeã da Copa do Busão, preparou uma festa digna dos tempos em que as pessoas saiam de suas casa para irem acompanhar show de artistas renomados, de graça, nos 90 e 2000 era comum a realização de eventos que levava até as periferias de São Paulo, grandes nomes da música brasileira, em tempos onde é preciso ter muita grana no bolso para acomoanhar uma apresentação musical, o time da zona leste se mostrou diferenciado e preparou uma festa que com certeza ficará na memória quem compareceu.

festa 18 anos batti fácil
In Memorian: Dorival

Com muita humidade e trabalho, um dos times mais respeitados da várzea, mostra que suas vitórias não são por acidente, dentro e fora de campo, a palavra de ordem é defender a quebrada, Turco, Fabrício e toda diretoria do Batti Fácil além de prestarem um grande serviço a comunidade, foram na contra-mão do machismo que por tantos anos imperou no futebol e abriram as portas para uma das primeiras torcidas femininas da várzea.

O comparecimento de mulheres nos campos de várzea de São Paulo é comum, muitas delas vão acompanhar seus familiares dentro de campo, isso não é novidade. A criação da torcida Batti Girls, representa uma mudança na participação de mulheres no futebol amador, a torcida exclusiva para mulheres, além de ser mais uma mostra das transformações que as mulheres estão provocando na sociedade, indica que a ideia de futebol pode ser compartilhada por todos, cada um ao seu estilo. Nós tivemos a oportunidade de conversar com duas responsáveis pela torcida, Camile e Dorilene, elas falaram sobre a formação da torcida e seu amor pela equipe da zona leste.

A DIRETORIA

Fabrício, um dos responsáveis pela organização da festa, em meio a todas as atividades para organização da festa, falou conosco sobre a importância do momento que a agremiação vive, as transformações que o Batti Fácil planeja fazer em sua estrutura e também, sobre o orgulho de levar para longe o nome da Vila Nhocuné. Em um depoimento emocionado, a lembrança de Dorival (ex-atleta e torcedor que veio a falecer no dia da festa), mostrou que nos 18 anos de história da equipe, formou-se uma grande família, que não faz distinção, apenas agrega todos da comunidade e vão em busca de trilhar um caminho vitorioso no futebol.

A festa rolou até altas horas, a diretoria que estava reunida em peso, dividiu as atenções entre a festa, a perda de um ente querido e a expectativa para as próximas decisões que a equipe tem pela frente, no dia 19 de outubro, pela Copa Negritude 2019, o time da Vila Nhocuné irá enfrentar um grande adversário pela frente, o Santa Rita da Cohab 1, time da casa que segue está em busca do bicampeonato da competição e divide junto com o Batti Fácil, o status de equipes mais estruturadas da várzea. No dia seguinte a missão é levar o caneco da Copa Cruzeirinho no jogo contra o Loucos e Malucos, um final de semana bastante agitado, que pode contribuir ainda mais para a história desse time que chegou entre os grandes da várzea e merece todo respeito.

Assista aos bastidores dessa festa que parou a várzea, com entrevistas e a participação do nosso narrador e apresentador Johnny Santos e do nosso repórter varzeano, Roger Marques:

SIGA AS NOSSAS REDES SOCIAIS
FACEBOOK.COM\AVARZEA
INSTAGRAM: @PROJETOVARZEANOS
TWITTER: SITE_AVARZEA


 

Roger Marques

Redator do site www.avarzea.com.br e colunista do site www.spfc24horas.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *